Artigo » DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DAS VÁRIAS FACES DO TRAUMA PSICOLÓGICO

A população geral é afetada pelas características traumatogênicas do mundo contemporâneo, tais como: incremento da velocidade; ansiedade aumentada; dificuldade de controle dos impulsos; acirramento da competitividade; aumento da instabilidade, da imprevisibilidade e da insegurança; propagação do medo; difusão da impotência; fragmentação das funções materna/paterna; aumento da solidão; comprometimento da capacidade empática; tendência ao individualismo; incremento da rivalidade em detrimento da solidariedade; desamparo; crise de valores; sentimento de inutilidade; estímulo exacerbado ao consumo; ilusão de alcance da felicidade, da completude ou da superioridade através do consumo (drogas; álcool; alimentos; objetos); imediatismo e aumento da dificuldade de suportar frustração.

Estudos epidemiológicos revelam que a massiva maioria da população sofreu ou sofrerá um ou mais eventos potencialmente traumáticos como perda de entes queridos, acidentes, violência, hospitalização, conflitos inter-pessoais graves, catástrofes naturais ou causadas pelo homem, entre outros. Em torno de 10% da população geral apresenta Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT) e 30%, TEPT parcial, enquanto grupos de risco podem apresentar prevalência do transtorno entre 52% e 87%. Os indivíduos com TEPT têm probabilidade três vezes maior para emersão de outros transtornos, comorbidades e/ou queixas somáticas. Pesquisadores em todo o mundo estabeleceram uma forte relação entre o trauma psicológico e o desenvolvimento de TEPT, transtorno depressivo, transtorno de personalidade, transtorno somatoforme, dores crônicas, fobias específicas e fobia social, automutilação, suicídio, comportamentos de alto risco e abuso de substâncias (como drogas e álcool). Traumas psicológicos podem também exercer significativa influência em comportamentos com isolamento social, distorções de percepção da identidade pessoal e alterações da crítica e do julgamento, sem necessariamente caracterizar um transtorno.

Os transtornos somatoformes decorrentes do trauma como dor de cabeça, gastrite, alergias, palpitações entre outros são com freqüência subdiagnosticados pela desinformação sobre o possível impacto do trauma psicológico e a prevalência do TEPT. As múltiplas expressões secundárias ao trauma diminuem as chances para o diagnóstico assertivo ocorrer, enquanto quadros mais conhecidos como a depressão, enxaqueca, fibromialgia, etc., são abordados primeiramente. Por outro lado, se as causas não forem tratadas as queixas em geral se tornam crônicas com prejuízos crescentes à qualidade de vida. O expressivo número de pessoas afetadas pelo trauma psicológico requer tratamento especializado. A psicoterapia tem sido indicada como a primeira linha de tratamento ao trauma, por ser a estratégia mais relevante para diminuição do risco de cronicidade. O tratamento adequado precoce pode evitar a configuração do TEPT, a emersão de comorbidades assim como o deslocamento de sintomas para expressões somáticas.

A presente especialização responde a uma necessidade premente do grande contingente de indivíduos afetados pelo trauma psicológico, apresentado por várias faces, que não recebem atenção profissional especializada. Temos como objetivo formar psicólogos e psiquiatras para o diagnóstico e tratamento eficazes das vítimas de traumas psicológicos. Ênfase será dada à compreensão das dinâmicas de comportamento que aumentam a vulnerabilidade para recorrência traumática, assim como ao crescimento pós-traumático e ao preparo do profissional para o atendimento terapêutico eficaz.

Apresentação
A proposta deste curso pretende atender à demanda de capacitação desta área, principalmente no âmbito da saúde.
O curso será realizado em 4 Módulos de dois dias (sexta e sábado das 9:00h as 17:00h) intercalados por dois meses. Os alunos deverão cumprir 12 horas de estudos em grupos durante o intervalo entre os Módulos.

Programa

Modulos I e II: Conceitos e formação teórica
• Conceitos de trauma psicológico e Transtorno de Estresse Pos-Traumático (TEPT);
• Quando o evento estressor se torna um trauma?
• Trauma sem palavras
• As várias faces do trauma psicológico e subtipos do TEPT;
• Como Percebemos o Mundo?
• Trauma e Subjetividade;
• Traumas Inconscientes;
• Personalidade e Trauma;
• Perfil psicológico do paciente traumatizado;
• Perfil psicológico do agressor;
• Perfil psicológico da vítima;
• Aprendizado de Extinção e Resiliência: crescimento pós-trauma;
• O preparo do terapeuta ao tratamento de indivíduos traumatizados;

Módulos III e IV: Tratamentos e prática clinica
• Estudos fronteiriços sobre a patofisiologia do trauma psicológico;
• Neuroimagem da percepção, dos estados alterados de consciência, do TEPT, de memórias traumáticas e psicoterapia;
• Abordagens terapêuticas ao TEPT: psicoterapia e farmacoterapia;
• Abordagens endereçadas aos indivíduos traumatizados: Psicanálise, Terapia Cognitivo Comportamental, EMDR, Psicoterapia Interpessoal e Terapia de Exposição e Reestruturação Cogniviva;
• Fases do processo: vítima, sobrevivência e superação;
• Contribuições das Neurociências a Psicoterapia eficaz;
• Neurônios-espelho: o que os exemplos de superação ensinam;
• Religiosidade, Espiritualidade e Saúde;
• Contribuições da ciência do Bem-estar e da Felicidade;
• Estudo de casos clínicos: psicoterapia e evolução clínica;
• Programa de 12 sessões de Terapia de Exposição e Reestruturação Cognitiva ao TEPT.

Público Alvo
Psicólogos e Psiquiatras e estudantes das respectivas áreas

Seleção
Análise de Curriculum Vitae e Carta de intenção

Valor
R$ 480,00 por Módulo


Interessados
Enviar curriculum e carta de intenção para contato@julioperes.com.br Assunto: Curso Trauma

Referências Bibliográficas

Peres, Julio. Trauma e superação: o que a Psicologia, a Neurociência e a Espiritualidade ensinam. São Paulo, Roca, 2009.
Peres, J. F. P. Achados dos estudos com neuroimagem no transtorno de estresse pós-traumático. In: CAMINHA, R. M. (ed.). Transtorno do Estresse Pós-traumático: da neurobiologia à cognição. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2005.
Peres, J. F. P. Iluminando os pesadelos pós-trauma. Rev. Viver Mente & Cérebro, v. 4, p. 72-77, 2005.
Peres, J. F. P. Promovendo resiliência em vítimas de trauma psicológico. Rev. de Psiquiatria do Rio Grande do Sul, v. 2, n. 27, p. 131-138, 2005.
Peres, J. F. P.; Mcfarlane, A.; Nasello, A. G.; Moores, K. A. Traumatic memories: bridging the gap between functional neuroimaging and psychotherapy. Aust. N. Z. J. Psychiatry, v. 42, n. 6, p. 478-488, 2008.
Peres, J. F. P.; Mercante. Psychological dynamics afecting traumatic memories: implications in psychotherapy. Psychology and Psychotherapy: Theory, Res. Prac., v. 78, n. 4, p. 431-447, 2005.
Peres, J. F. P.; Moreira-Almeida, A.; Nasello, A. G.; Koenig, H. G. Spirituality and resilience in trauma victims. J. Religion and Health, v. 46, p. 343-350, 2007.
Peres, J. F. P.; Nasello, A. G. Achados de neuroimagem em transtornos de estresse pós-traumático. Rev. Psiq. Clín., v. 4, n. 32, p. 189-198, 2005.
Peres, J. F. P.; Nasello, A. G. Neurônios-espelho: o eu e o outro. Rev. Psique Ciência & Vida, v. 12, p. 54-61, 2006.
Peres, J. F. P.; Nasello, A. G. Psicoterapia e neurociências: um encontro frutífero e necessário. Rev. Bras. de Terapias Cognitivas, v. 2, n. 1, p. 21-30, 2005.
Peres, J. F. P.; Nasello, A. G. Psychotherapy and neuroscience: toward closer integration. International Journal of Psychology, v. 43, n. 6, p. 943-957, 2008.
Peres, J. F. P.; Newberg, A. B.; Mercante, J. P. et al. Cerebral blood flow changes during retrieval of traumatic memories before and after psychotherapy: a SPECT study. Psychological Medicine, v. 37, n. 10, p. 1481-1491, 2007.
Peres, J. F. P.; Simao, M.; Nasello, A. G. Spirituality, Religiousness and Psychotherapy. Rev. Psiq. Clin., v. 34, suppl. 1; p. 58-66, 2007.
Peres, J.F.P. e Nasello, A.G. (2006). Neurônios Espelho: o Eu e o Outro. Revista Psique Ciência & Vida, Ed. Escala, 12: 54-61.
Peres, J.F.P.; Gonçalves, A.L.; Peres, M.F. Psychological trauma in chronic pain: implications of PTSD for fibromyalgia and headache disorders. Curr Pain Headache Rep, v 13, n 5, p. 350-357, 2009.

Artigos